quarta-feira, 1 de abril de 2015


Não sei porquê, penso muitas vezes como tudo é tão ocasional! Como, também nós pessoas, somos tantas vezes ocaso e ocasião!
Não sei porquê, há sempre um qualquer nó de origem emocional ou moral, que me  impede de aceitar que faço parte de um enredo ao qual nunca encontro a ponta. Cada vez mais, ao olhar para a vida, sinto que toda a ordem natural conspira contra os meus princípios. Mas, na verdade, naturalmente não vale a pena ter grandes princípios já que os fins são sempre os mesmos!


3 comentários:

Francisco Vieira disse...

neste momento sinto-me um ocaso há tempo demais para ser meramente ocasional. e, não sei porquê, todos os meus nós morais, emocionais e também físicos, levaram-me aqui: à ponta onde já não é permitida a existência do enredo.
mas os princípios serão sempre princípios e os fins poderão ser sempre os mesmos, mas não saberemos nunca nem o seu princípio nem o seu tamanho.
gosto muito de te ler e peço desculpa por estar numa ocasião em que só por acaso serei legível.
F

espinhos e outras flores disse...

És sempre presente Francisco, uma dádiva de palavras e sentimentos. Acompanho-te.Fica bem.

IC

espinhos e outras flores disse...

"Tudo o que há para guardar é o coração que recebe", a vida tem sempre algum encanto! Bj