segunda-feira, 5 de julho de 2010

Para ti T.C., sem espinhos
.
Ontem à noite sentei-me numa esplanada, à média luz, de frente para a àgua, onde todas as luzes brilhavam, de costas para tudo, de costas para toda a gente, ao som do Bob Marley. A noite estava quente e eu tinha serenado. podia, então pensar. A paixão é um estado de alma de sentimentos inesgotáveis que vão desde a felicidade aguda à angustia mais profunda. Sei-o porque lidei à pouco com uma miúda de 16 anos e sei-o porque passei a ter 16 anos.
Tenho andado a dar a volta ao passado, por entre todas as coisas que escrevi, a tentar perceber quando é que este sonho nasceu dentro de mim. Foi há muito tempo! Já não é possível descobrir! É que são tantas as coisas que te dizia (in)directamente e que tão bem posso identificar, quantas as que inconscientemente falava! Muitas vezes nem eu própria me dava conta! E a final, ao dar a volta a tudo, vejo como era tão ingénuamente transparente! Será que alguma vez terás percebido? Há sentimentos que se geram e vão crescendo e não fazemos nada para os afastar, porque, embora pareçam inexplicáveis, têm a sua própria explicação, porque nos fazem bem, porque é aquele outro lado de nós, aquela outra vida paralela, que nos faz manter o equilibrio. Chega-se a um momento que passamos mais tempo nesse lado, é então, que deixamos de controlar o sonho. Porque o sonho quer ganhar vida, exige uma certa realidade. Tomei consciência disso e, ainda assim, nada fiz para evitar que as rédas se soltassem. O sentimento tinha começado a galopar! Já não haveria como o evitar? Talvez não. Ainda tentei agarrar-me à realidade, mas senti-a tão fria que não podia ficar nela. Ou porque já não tinha controlo sobre o desejo. O desejo é algo que foge a qualquer domínio, que nos leva a atitudes imprudentes.
Jámais me passou pela cabeça que pudesses alguma vez ter sonhado ou viesses a sonhar... É dificil descrever o que as palavras me provocaram! Uma felicidade tão intensa que me tirou o sono, que me tirou da realidade, completamente! Se um camião me passasse por cima, tenho a certeza que nem um arranhão me provocaria! Depois do impacto inicial, comecei a pensar na minha idade, e nas coisas que alguém escreveu(!) e na figurinha ridicula que estaria fazer, e que se calhar o sonho até não era eu... e o raio que o parta! Um desespero incontrolável! E também queremos sempre mais, não é? Não nos basta o sonho, pois não? Precisamos do uso pleno dos sentidos... pronto, a dor da privação!
Reflectindo sobre tudo isto. Mais serena agora, e já capaz de me expôr sem temer parecer inimputável, quero dizer-te que tens sido muito importante para mim. Tens sido o sonho que tem dado equilibrio e luz à minha vida, já lá vão mais de dois anos. Estamos debaixo do mesmo céu, não te esqueças de olhar para ele de vez em quando.

6 comentários:

jchacim disse...

Ola, hoje so vim so publicitar o meu blogue, tem um novo design... ;)

espinhos e outras flores disse...

Jchacim.

E fizeste muito bem.
Estou com uma grande curiosidade, penso que devemos ser dos mesmos lados. O teu nome tem alguma coisa a ver com uma terrinha chamada Chacim, lá para os lados de Vila-Flor? Vi no teu blog as fotos de Vila-Flor, que Conheço bem.

jchacim disse...

É verdade sim... Dai termos o vicio de confundir os V com os B... ihihih... Sim, esse é o meu nome familia, com origem e raizes de Chacim... o mundo é bem pequeno, bolas!!! ;)

xeltox disse...

Espinhos:


Agradecia, por favor, o livro de reclamações...obrigado!


Beijo, Xeltox.

espinhos e outras flores disse...

Jchacim,

Que coíncidencias! Tive, não sei se ainda tenho, família em Chacim. Também tenho origens por aí. Cresci a escrever poemas bem pirosos nas margens do meu amado Tua. Espero, este Verão trazer algumas fotografias das suas águas e das paisagens que me viram crescer, para publicar aqui.

espinhos e outras flores disse...

Xeltox,

Concedido.
Eu é que agradeço.

Beijo grande.