terça-feira, 27 de janeiro de 2009

É URGENTE MUDAR


Há pessoas que são insuportáveis! Lembram-se, muitas vezes, de começar o dia, de preferência bem cedo, logo pela manhã, a embirrar com alguém, por qualquer coisa, pois parece que assim vão mais leves para o trabalho! Há pessoas assim na minha vida e, possívelmente na vida de todos nós. Ou por questões pessoais ou por questões profissionais, elas vão aparecendo. Pessoas que me irritam de uma forma que é como se lhe tivesse criado alergia! Se o telefone toca e reconheço o número, já sei que, se atender me vou chatear e que, se não atender me vou chatear ainda mais, pois vou levar com aquilo mais tarde e ainda com as queixas de que nunca atendo, coisa e tal.
Perturbam-me, por vezes tiraram-me o sono e o apetite, estragam-me dias e até semanas.

Estou cansada de aturar este tipo de pessoas. Não é fácil livrarmo-nos delas, mas também não é impossível.

Tomei a decisão de fazer uma lista que as contemple a todas e de arranjar estratégias para as afastar, de modo a não arranjar conflitos ou problemas, em particular no que diz respeito ao trabalho - felizmente, nas relações pessoais sou bastante selectiva e não tenho com que me preocupar.

Por outro lado, vou estar bem atenta aos sinais a fim de não permitir qualquer envolvimento futuro, pessoal ou profissional, com pessoas destas.
É que há indícios do seu carácter, mais ou menos fortes, que um olhar atento permite detectar. Normalmente é aquele tipo/a que tem conflitos com os vizinhos, que chateia o empregado do café ou do restaurante com picuínhices, que aponta aos outros mais defeitos do que virtudes, que tem a mania que estão sempre a tentar prejudicá-lo, que nunca assume uma culpa, eleva a voz com facilidade, fura os pneus do carro ao gajo que lhe roubou o lugar, tem sempre razão, fala muito mais do que ouve, etc. e, normalmente, nos primeiros contactos são pessoas bastante simpáticas e atenciosas. Porém, à menor contrariedade revelam-se irascíveis, crueis e bastante desagradáveis. - Só preciso de estar atenta.

Estou cansada, farta de aturar pessoas que não me são nada, nada me dizem e me fodem a paciência sem razão alguma.

Por vezes não basta apenas limpar o disco, é também preciso desfragmentar.

2 comentários:

comboio turbulento disse...

às vezes, é mesmo necessário comprar um "com puta dor" novo, não achas?:)

espinhos e outras flores disse...

Sim, sim. Às vezes é a única solução. Gosto da maneira como te exprimes, é muito interessante.