quarta-feira, 4 de maio de 2011

NÃO ME ENCONTRO


Encontro-me no centro de um inefável cansaço de tudo
e não me encontro.

De mãos condicionadas ao vazio,
ávidas por estrangular o tempo.

E na boca ressequida e estéril
um derramar de pedras a fingir poema.

2 comentários:

MyD. disse...

Extraordinárias palavras!

espinhos e outras flores disse...

MyD,

Obrigada.:)